Investigadores homenageados
16 de Março de 2017.
Nova fundação: Oceano Azul
18 de Março de 2017.

Internacionalização

Há um novo website para ajudar os estudantes internacionais a optarem por Portugal como destino de intercâmbio. A Universities Portugal pretende ser mais um instrumento para orientar os alunos estrangeiros no seu processo de familiarização com o país.

As universidades membros do CRUP (Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas) lançaram um novo website que pretende ser uma porta de entrada para todos os estrangeiros que considerem Portugal como destino de estudos. A plataforma Universities Portugal fornece um conjunto de informações sobre os cursos do Ensino Superior nacional e sobre o quotidiano das cidades universitárias portuguesas.

Para divulgarem a sua oferta formativa, as universidades portuguesas participarão também, neste semestre, em eventos internacionais junto de estudantes de países como o Brasil, China e Moçambique. Esta iniciativa articula-se com o projeto do governo «Study & Research in Portugal», que visa o aumento do número de alunos internacionais inscritos no Ensino Superior português.

De facto, o número de estudantes estrangeiros inscritos nas universidades e politécnicos portugueses tem crescido exponencialmente, com o ano letivo 2015/2016 a assinalar cerca de 38 mil alunos. Um valor que é praticamente o dobro do número registado no início da década e que é o resultado do esforço conjunto das iniciativas Erasmus, dentro e fora do espaço de Bolonha, assim como dos programas de intercâmbio entre países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa.

«Os estudantes internacionais que passam pelas universidades portuguesas, e que geralmente têm uma ótima experiência, criam um vínculo inquebrável com Portugal», assume o coordenador da Comissão Especializada de Internacionalização do CRUP. O responsável, que é também reitor da Universidade de Aveiro, afiança ainda que estes estudantes «tornar-se-ão nossos embaixadores pelo mundo, o que beneficiará não apenas as universidades, mas toda a economia portuguesa, a que se somam impactos culturais e sociais».

Notícia do Canal Superior de 15/03/2017.