Madeira: Health SPA
4 de Novembro de 2017.
Terra perto do terceiro ano quente
6 de Novembro de 2017.
O SVE teve um grande impacto na minha vida, tanto a nível pessoal como profissional.

Ter acabado a licenciatura e ter vivido sempre na ilha foram dois dos motivos que me levaram a fazer SVE, uma espécie de preparação pessoal para o futuro: viver sozinho ou compartilhar apartamento com outras pessoas num outro lugar.

Candidatei-me a todos os projetos em Espanha, mas sem resposta. Mais tarde fui informado acerca de uma desistência de um projeto numa província de Barcelona, Espanha, e voltei a candidatar-me. Embora não tivesse muitas esperanças de ficar selecionado, uma vez que estudei artes e o projeto estava relacionado com pessoas descapacitadas, fui aceite.

Foi um experiencia muito gratificante. No início estava um pouco receoso, era uma área de intervenção desconhecida para mim pois nunca tinha tido a oportunidade de lidar com pessoas com necessidades especiais, receio que rapidamente desapareceu. Na AMPANS, a associação em que fiz voluntariado pude constatar que existem diferentes níveis de necessidade e ajuda, algumas pessoas são completamente autónomas enquanto outras precisam de maior ajuda no dia-a-dia.

Recebi imenso carinho e afeto por parte dos utentes e monitores dos lares por onde trabalhei mas o que me deu maior alegria foi poder ajudar os utentes nas coisas que para mim são perfeitamente normais e banais e que para eles são um pouco difíceis de realizar, e ver o enorme sorriso após terem superado as dificuldades.

Tendo cerca de meio mês de voluntariado, eu e os outros voluntários tivemos uma formação a respeito do SVE, na cidade em que estava, Girona, uma cidade fantástica onde gravaram algumas cenas da série “Game Of Thrones” e do filme “Perfume”.  Se são fãs destes dois títulos, aconselho vivamente a visitarem a cidade. Esta formação contou com a presença de 30 voluntários, em que apesar de ser o único português presente, todos estavam a fazer SVE na Catalunha.

Quando cheguei a Barcelona mal falava espanhol e somente meia dúzia de palavras em inglês porque sempre fui um pouco tímido, e agora, resultado do SVE, sinto-me mais confiante, falo com fluidez o espanhol, resultado de maior prática no dia-a-dia, e melhorei e muito a língua inglesa.

Pedro Afonso, voluntário madeirense em Girona, Espanha.

Sobre o programa Erasmus+

O Erasmus+ é um programa da Comissão Europeia que abraça os campos da educação, da formação, da juventude e do desporto durante o quadro europeu 2014-2020. Uma das grandes vertentes dessa acção é a cooperação nas suas áreas de actuação, contribuindo para uma Europa plural e rica.

Entre os vários objectivos do programa, constituem as prioridades: os objectivos presentes na Estratégia Europa 2020, incluindo o grande objectivo em matéria de educação; os objectivos do Quadro Estratégico para a cooperação europeia no domínio da educação e da formação 2020 (EF 2020), incluindo os correspondentes critérios de referência; o desenvolvimento sustentável de Países Parceiros no domínio do ensino superior; os objectivos gerais do “Quadro renovado da cooperação europeia no sector da juventude” (2010-2018); o objectivo de desenvolvimento da dimensão europeia no desporto, em particular no desporto de base, em consonância com o plano de trabalho da UE para o desporto; a promoção dos valores europeus, nos termos do artigo 2.º do Tratado da União Europeia.

Para que esses objectivos possam ser alcançados, o Erasmus + materializa-se em várias políticas de acção. A acção 1 (KA1), diz respeito a mobilidade de indivíduos, a acção 2 (KA2) relaciona-se com a cooperação para a inovação e a troca de boas práticas e a acção 3 (KA3) refere-se ao apoio às políticas de reforma.

Sobre o Serviço Voluntário Europeu

Desde 1991 a Associação Académica tem desenvolvido uma ampla política de incentivo ao voluntariado. Em 2013, para ampliar a sua acção nesse campo, iniciámos a nossa acreditação enquanto entidade que recebe, envia e coordena projectos Erasmus +, no Serviço Voluntário Europeu, tendo recebido o primeiro voluntário, no âmbito de um projecto da KA1, em 2014. Temos desenvolvido um grande trabalho para que os jovens madeirenses possam participar em várias iniciativas na Europa, e temos proposto vários projectos para permitir que os jovens de vários países possam trabalhar nos projectos da Associação Académica da Universidade da Madeira, sempre considerando que o principal objectivo de voluntariado é beneficiar as comunidades e localidades onde desenvolverão as suas actividades, através do seu trabalho voluntário e sem qualquer remuneração financeira. Acreditamos que o Serviço Voluntário Europeu é uma ferramenta rica em vivências e experiências, onde todos os candidatos aprovados terão o privilégio de participar nesses projectos, podendo beneficiar as localidades e comunidades onde estão inseridos.

A Associação Académica da Universidade da Madeira tem recebido, desde 2013, vários voluntários que têm colaborado em diversas actividades e iniciativas. Além de poderem desfrutar de uma fantástica experiência que irá contribuir para o seu crescimento a nível pessoal e profissional, têm a oportunidade de interagir com os vários voluntários da Universidade da Madeira e contribuir, de forma única, para o desenvolvimento da comunidade em que estão inseridos.