Primeiro SMS enviado há 25 anos
4 de Dezembro de 2017.
Sustainable tourism
7 de Dezembro de 2017.

Facebook para crianças

Nova aplicação de mensagens para crianças com mais de seis anos não inclui anúncios nem permite fazer compras.

As crianças já não têm de mentir sobre a idade para falar no Facebook. Esta segunda-feira, a rede social anunciou o lançamento do Messenger Kids, uma nova aplicação para smartphone criada para crianças entre os seis e os 12 anos falarem com os amigos e familiares. Tal como o Messenger, podem enviar mensagens de texto ou falar por mensagens de vídeo ou voz.

Para a utilizar, porém, as crianças não precisam de ter uma conta no Messenger (continua a ser proibido criar uma antes dos 13 anos). São os pais que definem os amigos e familiares com quem os filhos falam através da sua própria versão da aplicação (e ao introduzir o seu nome de utilizador e palavra-passe).

A empresa diz que a segurança das crianças foi uma prioridade: “Não há anúncios no Messenger Kids e a informação partilhada pelas crianças não é utilizada para anúncios. A aplicação é gratuita e não se pode comprar nada”, lê-se no comunicado sobre a aplicação.

Facebook antevê críticas
O objectivo é dar aos pais “mais controlo” sobre o que os filhos fazem online. De acordo com dados do Facebook, 81% dos pais diz que os seus filhos começaram a utilizar redes sociais entre os oito e os 13 anos. A informação veio de um estudo com cerca de 1200 pais de crianças nos EUA com menos de 13 anos.

A nova aplicação inclui máscaras interactivas e efeitos sonoros FACEBOOK
A directora de política global do Facebook citou os números num outro comunicado que antevê (e responde) a algumas críticas. “As crianças entram cada vez mais cedo no mundo online”, escreve a directora Antigone Davies. “Usam os dispositivos da família – e muitos, com seis ou sete anos, já têm os seus próprios aparelhos”.

A empresa reconhece, porém, que a indústria tecnológica tem de perceber melhor o impacto que tem nas crianças. Vai contribuir com um milhão de dólares para financiar investigação na área. “Esperamos que esta aplicação seja um passo na direcção certa”, acrescenta Davies.

Por enquanto a nova aplicação do Facebook apenas está disponível nos Estados Unidos e para iOS. Não é preciso ter um número de telemóvel para a utilizar. A aplicação (que pode ser instalada num tablet) funciona exclusivamente com ligação wi-fi.

Notícia do Público de 04/12/2017.