Associação Académica da UMa

UMa_1920x620_4

A Associação Académica da Universidade da Madeira (AAUMa) foi criada em 1991 com o intuito de responder às necessidades da comunidade académica, sendo a estrutura representativa e comunitária dos estudantes da Universidade da Madeira. No mesmo dia em que se comemorava o aniversário da adopção, por parte da Organização das Nações Unidas, da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a 10 de dezembro, elegiam-se os primeiros corpos sociais da AAUMa.

Missão

A AAUMa é uma instituição privada, sem fins lucrativos, regendo-se por Estatutos próprios, por legislação geral e específica aplicável e pelos princípios gerais básicos do movimento associativo, ou seja, a democraticidade, a independência e a representatividade. Reconhecida pelo Ministério que tutela o Ensino Superior desde 2006, está inscrita no Registo Nacional do Associativismo Jovem do Instituto Português do Desporto e Juventude e possui, desde 2010, o estatuto de Instituição de Utilidade Pública, através do reconhecimento feito pela presidência do Governo Regional da Madeira.

Ao longo de mais de 25 anos de existência, a AAUMa tem procurado defender os interesses da Academia cumprindo, assim, as suas atribuições e os objectivos fundamentais que nortearam a sua origem, como sejam: defender intransigentemente uma universidade democrática, inserida na sua comunidade; organizar, defender e representar os estudantes da Universidade da Madeira e defender os seus interesses; contribuir para o fortalecimento das iniciativas conducentes a uma reforma democrática do ensino; promover a formação cívica, humana, cultural, desportiva e científica dos seus membros através do fomento de actividades culturais, físicas, desportivas e político-sociais; intervir em todas as questões de interesse estudantil, em particular, as que visam a democratização do ensino e a melhor contribuição desta para o desenvolvimento socioeconómico da região; defender e promover os valores fundamentais do ser humano; contribuir para a participação dos seus membros na discussão de problemas educativos e participar na gestão e na orientação da Universidade da Madeira, designadamente nos órgãos onde os estudantes têm assento.